HOME SOBRE CONTATO FREEBIES CLIPPING

RESENHA: SIMPLESMENTE O PARAÍSO


25 março 2017


O primeiro livro dessa serie tão aguardada pelos fãs de Julia Quinn trouxe o que foi esperado. Um romance cheio de clichês e suspiros. Ah, para vai. Quem é que não gosta de clichês? Clichê é vida gente, aliás, clichê é algo que gostaríamos de ter na nossa vida. Pelo menos no lado dos romances.

Além de ser um livro muito fofo, com poucas reviravoltas admito, mas mesmo assim lindo. Ele ainda trás um poucos dos Bridgertons. Ou seja, fofura em dose dupla. Nós conseguimos ver as ligações nas historias, deixando todo esse mundo que a Julia Quinn criou um pouco maior.

Nesse livro encontramos as já conhecidas Smythe-Smith, o quarteto mais terrível da série. Honoria tem plena consciência disso. Ela toca pela família, pela tradição, e não porque gosta. Todas as Smythe-Smith tocaram até se casarem e ela está determinada a fazer desse ano o seu último concerto. Ou seja, ela está desesperada para se casar!


Só que nenhum pretendente chegou a realmente pedi-lá em casamento. Ela achava que alguns estavam inclinados para isso, mas depois de um tempo eles simplesmente sumiam. Não que ela realmente quisesse casar com eles, mas queria parar com todo aquele pesadelo musical. Com 21 anos ela já estava na sua terceira temporada e se demorasse muito não conseguiria anda melhor.

Marcus Holroyd, grande amigo do irmão de Honaria, Daniel Smythe-Smith, é também quase um membro da família. Ele participava de tudo com aquela família, já foi até uma arvore e se sentia muito feliz com aquilo. Além de Daniel, tem como Honaria a irmã que ele nunca teve e por isso está determinado a fazê-la se casar com o homem certo. Foi o único pedido de Daniel antes de ir embora do país. Marcus prometeu a ele. E ele sempre cumpre suas promessas.


O problema é que nenhum homem era bom o suficiente para ela.
Marcus sempre vê um defeito neles e já se livrou de muitos com segundas intenções.
Nenhum sabia quem realmente era Honaria Smythe-Smith.
Ninguém além dele.
Seria esse o problema?
O homem ideal seria justamente aquele que estaria afastando todos os outros?
Acho que já sabemos aonde isso vai dar... 


Autora: Julia Quinn
Livro: Simplesmente o paraíso - Quarteto Smythe-Smith #1
Editora: Arqueiro
Páginas: 266
Comprar: Saraiva
Livro enviado para resenha
Nota:          

ADORMECIDA


22 março 2017


Eu tenho sérios problemas com começo. Nunca sei qual a palavra certa pra usar.Tínhamos tudo para fazer da nossa história um conto de fadas real. Daqueles pra ser lido depois e encantar as pessoas. Você apareceu pra mim tão de repente. Eu pensei comigo " Puxa vida, acho que encontrei o meu príncipe" e tudo passou tão depressa que eu nem consegui perceber o quanto isso estava me transformando. Você passou por todas as minhas barreiras, cortou todos os galhos e espinhos que encontrou pelo caminho. Me prometeu que faria de tudo para conquistar meu coração.

 Eu pensei que você fosse um daqueles que ao ver os primeiros obstáculos, correria para o outro lado, como eu vi tantos outros fizeram. Mas ao olhar para você eu podia ver algo diferente. Algo que me fez acreditar que  era você que eu estava esperando. Destruindo todas as minhas defesas, encontrou o caminho certo para o meu coração. Buquê de rosas, olhares trocados e mais alguns elogios.Quanto mais tempo passava ao seu lado mais eu queria mais de você. Meu coração cedeu. Começou a se entregar aos poucos. E agora? Quando eu vi já estava te amando, desesperadamente como se precisasse de você para respirar. Então as coisas mudaram. Não sei bem o que aconteceu.

Toda a magia se perdeu. Idas e voltas. Palavras esfarrapadas e jogadas ao vento. Meu coração se partiu aos poucos e então você foi embora. Sem explicações ou lógica. Lágrimas caíram. O sol se escondeu, deixando escuridão dentro de mim. Perdi minha inocência e fui corrompida. Fechei os olhos pra tudo e deixei meu coração criar novas barreiras mais fortes, com mais galhos e mais espinhos. Entrei em uma espécie de coma e nem ao menos me importei.

Vamos ver quem será o próximo a driblar esses obstáculos. A branca de neve mordeu uma maçã envenenada. A bela adormecida furou o dedo em uma roca de fiar. E eu? Bem eu fui quebrado ao meio pelo amor. Elas foram salvas pelos seus lindos príncipes. Eu continuo de olhos fechados esperando o meu. Por mais que tenham me dito que ele não virá. Quem sabe não será ele que me salvará de mim mesma? Espero que aquele tal de beijo verdadeiro me tire desse sono profundo. Quero acordar preparada para amar novamente.

*Inspirado na Bela Adormecida

RESENHA: NINFEIAS NEGRAS


16 março 2017


Imaginem um livro que logo na primeira página deixa você curiosa. Ele te dá fatos. Três fatos simples, na verdade: a historia se baseia em três personagens, mulheres totalmente opostas. A primeira era má, a segunda egoísta e a terceira mentirosa. Curioso, não?  Além disso a idade de cada uma também era diferente. Uma era bem velha, a outra uma criança e a ultima uma jovem professora. Todas com um segredo. Todas com algo a dizer. Todas a procura da mesma coisa. Liberdade.

Vem dizer que você também não bancaria o detetive? 

Foi isso que eu fiz logo de cara porque logo de cara acontece um assassinato. BUM! Senti isso no primeiro capitulo, "mas já?", pensei comigo e a historia estava feita. A curiosidade aumentada. E o anseio de terminar aquelas páginas crescendo. Poxa, estávamos em Giverny, uma cidade mundialmente famosa devido aos seus jardins e o pintor Monet. Muitos gostariam de viver naquele lugar. Muitos viam de longe só para tirar algumas fotos. Morte não é uma das primeiras coisas que pensamos quando ouvimos o nome Giverny.


O detetive Laurenç, novo na cidade e grande admirador de arte, estava a cargo do mistério. Junto com seu parceiro perfeccionista, Sylvio, tentarão descobrir quem fez isso com um oftalmologista famoso e até então, sem inimigos. Só que esse não é o único mistério. E talvez seja tarde demais para os detetives descobrirem o que o assassino quer com aquele jogo de adivinhação. Alguém ali estava brincando com eles. Mas quem?
"Na época uma obra dessas devia ser uma carnificina, mas as pessoas esquecem. Sempre acabam esquecendo. Esquecem a carnificina, a barbárie, e admiram a loucura."
Conforme ia lendo, a única certeza que eu tinha é que eu estava errada. Porque não se descobre um assassino logo na metade de um livro... mesmo parecendo tão certo. Então, se não era aquela pessoa? Quem era?

Só tenho uma coisa a dizer: EU FUI BEM TROUXA. Ninguém merece, até em uma historia eu sou trouxa. Não sei explicar bem, mas o escritor fez com que eu pensasse na pessoa errada, na verdade em várias pessoas errada. Tudo, tudo errado. Tudo. Até o final chegar.

Quem é o pai de Fanette? A professora está mesmo em perigo? O que o cara que morreu escondia? Que segredo revelador foi esse que a velha "bruxa do moinho" contou para a esposa do homem que morreu.? É MUITO MISTÉRIO MINHA GENTE. Eu já não aguentava mais. Juro pra vocês, o livro ficou cheio de anotações e suposições. E quando a gente acha que a historia só vai girar em volta de certos personagens APARECE MAIS UM DE SUMA IMPORTÂNCIA. 

Aliás, desafio vocês a descobrirem o assassino antes do final. É serio, gente, não tenho mais o que dizer. Só leiam esse livro.Por favor. 

Autor: Michel Bussi
Livro: Ninfeias Negras
Editora: Arqueiro
Páginas: 346
Comprar: Saraiva
Livro enviado para resenha
Nota:         

LOOK: UNIFORME DE HOGWARTS


11 março 2017


Eu disse pra vocês que ia ter fotinha com o uniforme da melhor casa de Hogwarts, não disse? Levei a manhã toda pra tirar essas fotos, primeiro queria tirar no meu quarto, por causa da estante de livros e da parede com triângulos, mas tava tão quente, mas tão quente hoje que eu não aguentei ficar com esse uniforme por muito tempo (gente isso esquenta mesmo!), então mudei pra cozinha que também era branca e tava mais fresquinho kkkk não ficou exatamente como eu queria, mas é melhor que nada.

Acho que levamos duas horas ou mais pra conseguir tirar essas fotos, minha mãe tremia horrores, oh tempinho em... O uniforme e gravata são da loja parceira Madamemalkin. Espero que gostem das fotos!





© Kézia Martins / Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design
Tecnologia do Blogger.